VOUZELA, 6 de Dezembro de 2020
PUBLICIDADE

O regresso às aulas em tempos de pandemia

9 de Setembro 2020

Devido à situação excecional que se viveu devido à grande proliferação de casos de contágio de Covid-19, foram aplicadas medidas extraordinárias a nível nacional, como o encerramento dos estabelecimentos de ensino. Neste sentido, o Governo decretou a 13 de março de 2020 a suspensão de todas as atividades letivas, não letivas e formativas presencias.

Atendendo à atual fase de mitigação da pandemia e à situação epidemiológica no nosso país, o Governo aprovou, através do Decreto Lei Nº 139, de 20 de julho de 2020, um conjunto de medidas excecionais de organização e funcionamento de todos os estabelecimentos de ensino, que garantam a retoma das atividades educativas e formativas presenciais em condições de segurança para toda a comunidade escolar, de acordo com as orientações definidas pela Direção-Geral de Saúde (DGS).

É essencial que, neste recomeço, a comunidade educativa esteja sensibilizada para as regras de segurança a adotar nos recintos escolares e peri-escolares, relativamente às medidas preventivas da doença Covid-19, no sentido de elucidar os mais novos para o cumprimento das mesmas.

É obrigatório o uso de máscara por toda a comunidade escolar, incluindo para os alunos, a partir do 2º ciclo do ensino básico. Além disso, devem ser mantidas as medidas de higienização das mãos e etiqueta respiratória, alertando, também, para o distanciamento físico.

Assim, estão definidos um conjunto de procedimentos que deverão ser adotados por qualquer estabelecimento de ensino. Ao entrar na escola, toda a comunidade deve desinfetar as mãos com uma solução antissética de base alcoólica (SABA), lavar ou desinfetar frequentemente as mãos durante o dia, esfregando-as bem durante, pelo menos, 20 segundos, tossir ou espirrar para a zona interior do antebraço, com o cotovelo fletido (nunca para as mãos), evitar tocar nos olhos, nariz e boca e manter a distância fisica de 1,5 a 2 metros.

É de relembrar que os sinais e sintomas variam de acordo com a sua gravidade, podendo haver pessoas infetadas assintomáticas e pessoas com sintomas ligeiros ou graves. Atualmente, ainda não existe vacina para o vírus, o tratamento encontra-se direcionado para os seus sinais e sintomas.

Apesar da situação complexa que vivemos, se forem cumpridas todas as medidas preventivas recomendadas, acreditamos que o regresso às aulas poderá ser feito em segunça, de forma a que este novo ano letivo ocorra sem incidentes.

Neste regresso às aulas, protege-te a ti e aos outros!

 

Unidade de Cuidados na Comunidade de Lafões (UCC Lafões)

 


Todos os direitos reservados • Notícias de Vouzela

Praça da República, 17 3670 – 245 Vouzela

Powered by DIGITAL RM