VOUZELA, 12 de Abril de 2024
PUBLICIDADE

Livro “Descobrir SÃO PEDRO DO SUL” fez um aninho de idade

16 de Dezembro 2020

São Pedro do Sul: terra, um concelho de inúmeros recursos endógenos, cantos e recantos nas serranias, nas freguesias ou nos cursos de água e gentes de uma simpatia extrema e que sabem tão bem receber de coração aberto. Enfim, uma verdadeira atração de turistas pela componente visual estimulados pela capacidade de observação da natureza, das riquezas naturais, arquitetónicas, sociais e paisagísticas.

Uma pergunta se coloca: o que fazer com este ou neste cenário?

Sendo uma região única no mundo com cenários cativantes de uma beleza inigualável e extraordinária com um património edificado e natural para explorar experiências de uma ancestralidade e valor imaterial equivalente. A captação através da fotografia desses “lugares” emblemáticos retratando para a posteridade essas possíveis experiências, eternizando-as por via de “imagens”. Portanto, o legado que a região tem como exemplo os seres humanos e a natureza (água é um recurso importante na região, os rios, os ribeiros, as serras mágicas com dimensão e relevo imponente, a flora e as paisagens naturais únicas) são por inerência uma referência de e para a fotografia que carece sempre de ver aumentado o acervo no concelho. Depois desta etapa… ficar por aqui? A resposta é: não. Para além de haver um legado humano como os açudes, moinhos, levadas, muros, socalcos e lameiros, entre outros registos que carecem de ser captados… Miguel Regada sonhou em divulgar a terra pela região, pelo país e pelo estrangeiro. O seu afinco em mostrar as imagens da sua terra levou-o a organizar eventos de fotografia com concursos de fotografia intitulados “Descobrir SÃO PEDRO DO SUL” e “Descobrir VILA MAIOR”. Desenvolveu o projeto e, de forma altruísta, foi com ele para a frente tendo referido que o mesmo “tem todas as condições para reaver o que investi[u] e até fazer levar o nome de São Pedro do Sul mais longe”.

 

Balanço inicial

No início do corrente ano, o mentor da iniciativa do “Descobrir” fazia um balanço de meio ano do lançamento do livro e a projeção das expectativas para o futuro próximo… É verdade: o leitor está a ler corretamente! O “lançamento do livro”… Recorda ainda o sentimento de desconfiança e timidez aquando do lançamento na casa mãe, nas Termas de São Pedro do Sul, e revela que ficou desiludido pela falta de apoio da representatividade das instituições do poder local. Este livro é portanto o resultado do investimento e do esforço da sociedade civil que filantropicamente pretende por essa via levar as belezas do concelho pelo mundo fora.

Estando no horizonte um acordo com uma editora para conceber um livro fotográfico sobre o evento, seus intervenientes e sobre o concelho anfitrião, São Pedro do Sul, importante patamar na realização do livro. Miguel Regada mitigou as dificuldades que foram surgindo de modo a que aquele pudesse ser uma mostra na difusão da região. Assim, refere que aquele livro “não se circunscreve apenas a fotografias mas também ao aspeto turístico da região com descrição dos locais visitados”… Por outras palavras alguém reforçou: o “livro não é apenas de fotografia e contém também textos explicativos dos locais de passagem bem como o histórico sobre o concelho e outras curiosidades”.

 

Lançamento oficial do livro

Outubro de 2019 fica marcado na História: as efemérides dos lançamentos com uma dinâmica própria foram um marco da cultura da região de Lafões. No ano de 1911 nasceu em Lisboa uma instituição cujas valências e utilidades são reconhecidas por todos, a Casa de Lafões, um emblemático e carismático local, sendo que há um ano estava aquela instituição a celebrar o 108.º aniversário e em associação com a data do lançamento do livro num dia que ficou retratado como sendo o Dia L: Lançamento, Livro, Lisboa e Lafões.

A boa recetividade e acolhimento inevitável que fica igualmente no espólio de agradáveis recordações. O Livro era a atração principal, o livro de fotografia é fruto do espírito de colaboração, apoio e entreajuda cujo resultado final e a alta qualidade que se destaca no livro, foram audíveis as exclamações de satisfação! Como primeira impressão… os presentes destacaram a capa como uma escolha unanime e perfeita pela sua simplicidade e sobriedade e ao desfolhar cada página numa cadência lenta, atentos aos detalhes e absorver a essência que os registos fotográficos compostos pelos olhares e sensibilidades de 39 fotógrafos exprimiu naquele momento com uma qualidade fotográfica originou várias viagens pelo concelho, através das páginas do livro por cada presente.

O painel de oradores foi unanime ao compará-lo com outros livros de fotografia e destacaram a qualidade e a homogeneidade de como o livro está organizado pelos seus capítulos e com as informações dos locais por onde passaram os fotógrafos. Um sentido de legado que ficou registado para a posteridade, um sentimento de dignificação pura com o concelho que recebeu por parte dos fotógrafos turistas do sul, que incentivaram os visitantes do lançamento do livro a ir descobrir São Pedro do Sul.

 

Um Hino a Lafões

Perante este acontecimento especial, o início de uma festividade com o inédito lançamento do livro, um trabalho único e ímpar no concelho de São Pedro do Sul. Algo pairava no ar, o livro: um bom veículo para deixar às gerações vindouras e tem também como papel preponderante a divulgação turística de São Pedro do Sul. Este contém imagens icónicas e outras que por vezes passam despercebidas aos habitantes locais, uma fonte de inspiração para a descoberta do concelho de São Pedro do Sul e espera-se que seja também uma referência além-fronteiras.

O livro é o espelho da alma dos fotógrafos conjugado com o espírito do Hino de Lafões, um álbum mágico, uma obra de arte, um hino ao turismo, um bom guia turístico e um chamariz a todos aqueles que desejem usufruir do território. A região é linda e está soberanamente captada e exposta num livro que retrata o concelho como ele é: extremamente belo. Uma região lindíssima soberanamente captada e exposta num livro inédito com uma multiplicidade de olhares, perspetivas, sentimentos e interpretações fotográficas… Mas qual o enquadramento a dar ao livro: será um livro de fotografia ou de turismo? Vários dos participantes na iniciativa mencionaram com enfase que não saberiam qual a secção onde colocar o livro na estante da livraria, assim, dada a unicidade teria que colocar em ambas as secções.

Num momento solene e de reflexão na “casa mãe” (Termas de São Pedro do Sul), onde tudo começou, o primeiro contacto com o livro teve a mesma reação que tivera noutro lançamento local (Lisboa). A escolha sóbria da capa, qualidade fotográfica e artística retratada constatada pelo desfolhar lentamente das páginas do livro para absorver cada detalhe originou a que os participantes voltassem a abrir o livro e olhassem para ele com outra visão e afirmassem que é uma bela inspiração no Hino de Lafões em que não há no mundo um lugar assim.

 

Livro com prefácio de Mestre

É de salientar que o livro Descobrir SÃO PEDRO DO SUL encontra-se disponível um pouco por toda a região e pode ser adquirido em unidades de hotelaria, papelarias, hipermercados ou diretamente através do email geral@descobrir.org, sendo que pretende ser uma bela prenda ou oferta de natal ou quando sentirem o momento “certo” é que partilham a eternidade por todos os outros leitores. Ao adquiri-lo estará a ser solidário com a região e permitir a continuidade das iniciativas que têm vindo a ser desenvolvidas, manter o nível exímio da qualidade do serviço prestado.

A cultura só fica a ganhar com o prefácio do livro do conterrâneo Mestre Homem Cardoso em que referiu que este livro tem excelentes fotografias, obra que denota uma grande sensibilidade artística, e os seus autores fotografaram muito bem São Pedro do Sul, sendo este o primeiro livro de fotografia de São Pedro do Sul.

O livro, um roteiro impressionante da geografia do concelho acompanhada de uma descrição simples e objetiva desses pontos atrativos, não deverá ser apenas para consumo externo… é um legado aos descendentes e provenientes do concelho. A ideia de o tornar a levar aos sampedrenses neste ano era uma afirmação do projeto, um paço de gigante rumo a levar o livro a todos os residentes do concelho, ou seja, pretendemos conquistar a notoriedade interna para ganhar a credibilidade externa e vice-versa.

 

Festa do 1.º aniversário

Um ano após o lançamento em Lisboa, 5 de outubro do corrente ano, no mítico local do Salva Almas celebrou-se o 1.º aniversário do afamado livro Descobrir SÃO PEDRO DO SUL em que mais uma vez se procurou dar voz ao livro do “Descobrir”, ao livro “Universo das Pedras” (com uma fotografia do livro do “Descobrir”) e uma biografia do José de Almeida, “A minha Vida são as Pedras”…

Acontecimento mais uma vez à imagem do “Descobrir” com muitas particularidades: música ao vivo pelos SAX ON THE ROAD, visitas guiadas às capelas, presentes e surpresas com uma homenagem em vida ao senhor “Salva Almas” e inauguração de uma exposição da réplica fotográfica “O Rosto da Natureza”, última imagem do livro que serviu de inspiração às três pinturas da “Viagem em Família” da Susana, Ricardo e Gabriela, que ficaram expostas também junto da fotografia.

Mas não é tudo… como dia de festa, celebrou-se o dia com divinal bolo de aniversário e os “parabéns” ao “menino” Livro Descobrir SÃO PEDRO DO SUL.

 

 

Miguel Regada

 


Todos os direitos reservados • Notícias de Vouzela

Praça da República, 17 3670 – 245 Vouzela

Powered by DIGITAL RM