VOUZELA, 20 de Abril de 2024
PUBLICIDADE

Distrito: Três detidos e 16 identificados por incêndio florestal

27 de Maio 2020

O Comando Territorial de Viseu da GNR deteve, desde o início do ano, no distrito de Viseu, três cidadãos e identificou outros 16 por suspeitas da prática do crime de incêndio rural.

De acordo com as autoridades, “a maioria dos incêndios registados teve origem aquando da execução de queimas de sobrantes de exploração”. “Apesar das queimas não estarem proibidas, apenas necessitando de serem comunicadas às Câmaras Municipais, alerta-se para o aumento considerável das temperaturas nos próximos dias, que, aliadas à diminuição considerável da humidade relativa dos combustíveis, podem criar condições favoráveis para o descontrolo das queimas e propagação do fogo aos combustíveis adjacentes originando incêndios”, refere o Comando Territorial de Viseu, em comunicado.

Assim, a GNR apela “aos cuidados necessários por quem tem de executar estas actividades”, acrescentando que “a protecção da nossa floresta e de todo o meio ambiente depende de todos nós, sendo decisivo o papel de cada cidadão. Colabore para um Portugal sem fogos”.

O Comando Territorial de Viseu adianta ainda que “face ao agravamento do risco de ocorrência incêndios rurais previsto para os próximos dias”, e em colaboração com outras entidades, “vai manter uma vigilância próxima nas zonas florestais, empenhando diversas capacidades e valências, por forma a reduzir o número de ocorrências desta natureza”.

 

Algumas regras e recomendações

“A GNR alerta que é proibido fazer queimadas extensivas, sem autorização e sem acompanhamento de um técnico credenciado em fogo controlado, operacional de queima ou equipas de sapadores ou bombeiros, situação que é considerada “uso intencional de fogo” e está sujeita a coimas. Também para se proceder à queima de matos cortados e amontoadas e qualquer tipo de sobrantes de exploração florestal e agrícola é exigida uma comunicação prévia à câmara municipal ou à junta de freguesia”, refere o organismo.

No documento pode ler-se ainda que o uso do fogo exige atenção às condições meteorológicas, pelo que a GNR aconselha:

·         Não queime com tempo quente e seco ou com vento;

·         Escolha dias nublados e húmidos;

·         Leve sempre consigo o telemóvel para dar o alerta em caso de incêndio;

·         Faça a queima acompanhado.

Por força das circunstâncias meteorológicas, a GNR irá adoptar medidas e acções especiais de prevenção de incêndios rurais, sensibilizando a população para os cuidados a ter na realização de queimadas e queimas de sobrantes de explorações agrícolas e florestais e de outras acções de gestão de combustível. A Guarda disponibiliza ainda um serviço de atendimento telefónico SOS ambiente e território – 808 200 520, disponível 24 horas por dia, durante todo o ano, através do qual poderão ser expostas situações e colocadas dúvidas.

Nos espaços florestais e agrícolas,  além de alertar para o cuidado a ter na execução de queimas e queimadas, a GNR reitera os seguintes conselhos à população:

·         Evite fumar, fazer lume ou fogueiras;

·         Evite fumigar ou desinfestar apiários, a não ser com uso de fumigadores equipados com dispositivos de retenção de faúlhas;

·         Utilize tractores, máquinas e veículos pesados de transporte que possuam extintor, sistema de retenção de faúlhas ou faíscas e tapa-chamas nos tubos de escape ou chaminés;

·         Em caso de incêndio, ligue de imediato para o 112, transmitindo de forma sucinta e precisa a localização, a dimensão estimada e a forma de acesso mais rápida ao local.

Se notar a presença de pessoas com comportamentos de risco, contacte de imediato as autoridades.


Todos os direitos reservados • Notícias de Vouzela

Praça da República, 17 3670 – 245 Vouzela

Powered by DIGITAL RM