VOUZELA, 21 de Fevereiro de 2024
PUBLICIDADE

Canto a Vozes: Candidatura a Património Cultural Imaterial apresentada dia 11

6 de Setembro 2021

A Associação de Canto a Vozes – Fala de Mulheres vai fazer, no próximo dia 11 de Setembro, no Cineteatro Jaime Gralheiro, em São Pedro do Sul, o pedido de inscrição do canto de mulheres de matriz rural, a 3 ou mais vozes, na Lista Nacional do Património Cultural Imaterial.

Para as 14h30 está marcado um encontro de autarcas, presencialmente ou online, para oficializar a Rede Intermunicipal; e às 15h00 será feito o acto do pedido de inscrição.

De seguida, cada grupo dará voz ao seu canto a 3 ou mais vozes. Estarão presentes 15 grupos, num total de 165 cantadeiras e alguns cantadores:  Vozes de Manhouce, Cantadeiras de São Martinho de Crasto, Segue-me à Capela, Rusga de Joane, Grupo Folc. Univ. do Minho, Sopa de Pedra, Grupo de Cantares do Linho, NEFUP, Mulheres do Minho, Cantadeiras do Vale do Neiva, Cramol, Grupo de Cantares de Sobral de Pinho, Grupo de Cantadeiras de Cabreiros, Grupo de Cantares de Pindelo dos Milagres, Grupo de Cantares de Terras de Arões.

A Formação da Associação

Formada em Assembleia Geral com a presença de 36 grupos (360 pessoas) a 1 de Março de 2020, em Viana do Castelo, com a aprovação de estatutos e corpos gerentes, a Associação Canto a Vozes – Fala de Mulheres (ACVFM) pretende inscrever o canto de mulheres de matriz rural, a 3 ou mais vozes, na lista nacional do Património Cultural Imaterial.

A ideia, surgida alguns anos antes, iniciou o seu processo de concretização com o impulso da autarquia de São Pedro do Sul que aderiu a ela, sem hesitação, e assinou um protocolo com a Universidade de Aveiro com vista ao levantamento dos grupos praticantes. Foi São Pedro do Sul também que acolheu as primeiras reuniões preparatórias envolvendo cada vez mais grupos e pessoas. Neste momento, mais de cinquenta grupos, dois deles em França, aderiram a este movimento que tem levado à revalorização social, crescente prática deste canto e dinamização de actividades públicas.

 

Conselho Consultivo

Em segunda AG, já em tempo de pandemia, foi aprovado o regulamento interno e a constituição do seu Conselho Consultivo, constituído por Isabel Silvestre, Amélia Muge, Ana Paula Guimarães, Anne Caufriez, Domingos Morais, Fernando de Oliveira Baptista, Joana Machado Araújo, Manuel Pedro Ferreira, Manuel Rocha, Maria do Rosário Pestana, Salwa El-Shawan Castelo-Branco, Susana Sardo e Vítor Coelho Barros.

O que é este canto a vozes?

Esta forma de cantar a três ou mais vozes sobrepostas, em movimento predominantemente paralelo, adquire localmente diferentes designações, tais como ternolotecramolcantadacantedocantigasmodas ou cantarola. É cultivada no centro e norte de Portugal há sucessivas gerações e pode também encontrar-se em comunidades e/ou grupos geograficamente distantes, mas que, de algum modo, tiveram ao longo da sua história contacto com essas práticas performativas.

Como apoiar esta candidatura?

A ACVFM, consciente da importância de salvaguardar este património imaterial que vincula as mulheres no combate à vulnerabilidade das comunidades onde residem, reforça a identidade local e desoculta o papel das mulheres nos processos e práticas culturais, apela a uma subscrição da lista de apoio que fará chegar à Direção-Geral do Património Cultural, com vista à inscrição do Canto a Vozes de Mulheres na Lista Nacional do Património Cultural Imaterial que se pode subscrever aqui:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSex9SOOQipzYSs9xoCYqEODSew2HsYwVm7P6LuuQ2Se43NVuQ/viewform?gxids=7628.

A Rede Intermunicipal

Em criação está ainda, em fase avançada, uma Rede Intermunicipal que pretende reunir todas as autarquias dos grupos existentes.

O projecto envolve os municípios de São Pedro do Sul, Viana do Castelo, Arouca, Braga, Coimbra, Oeiras, Porto, Póvoa do Varzim, Arcos de Valdevez, Vieira do Minho, Vale de Cambra, Aveiro, Vila Nova de Famalicão, Esposende, Sever do Vouga, Oliveira de Frades, Alfândega da Fé, Guimarães, Amarante, Oliveira de Azeméis, Santa Maria da Feira, Valongo e Vouzela.


Todos os direitos reservados • Notícias de Vouzela

Praça da República, 17 3670 – 245 Vouzela

Powered by DIGITAL RM